Sexta-feira, 25 de Novembro de 2011

 

 



Sexta-feira, 11 de Novembro de 2011

A partir das leituras que tenho feito e das temáticas que sei que irei abordar, elaborei de uma forma simples o primeiro índice provisório do enquadramento teórico do meu projeto:

 

1. Introdução ao Digital Storytelling

1.1. Conceito

1.2. História

1.3. O Digital Storytelling como Learning Object

 

2. Técnicas e tecnologias em Digital Storytelling

2.1. Etapas de elaboração de Learning Objects com Digital Storytelling

2.2. Condições necessárias e boas práticas

2.3. Recursos de Hardware e Software

 

3. O Digital Storytelling na formação de Adultos

3.1. Formação em e-Learning e m-Learning

3.2. Aprendizagem colaborativa

3.3. Processos de aprendizagem

3.4. Métodos de avaliação da formação



Sexta-feira, 11 de Novembro de 2011

A minha escolha da metodologia baseou-se numa análise às características das mesmas.

Depois de refletir bastante, e tendo em conta que se pretende resolver um problema - que é motivar os adultos para a aprendizagem colaborativa recorrendo à metodologia do Digital Storytelling - e que é um projeto prático em que não só trataremos de procurar uma solução para o problema mas também tentar pô-la em prática (tendo sempre em conta a limitação do tempo), concluí que, neste momento, considero a metodologia investigação-ação a mais adequada para o meu projeto.



Sexta-feira, 11 de Novembro de 2011

Olho agora para trás, para o último post que fiz, e rio-me da maneira como eu pensava do projeto. Tudo mudou, tanto o meu rumo como os meus objetivos, por isso vou tentar explicar um pouco dessa evolução aqui:

O meu projeto de investigação focar-se-á no Digital Storytelling para formação de adultos em contexto de aprendizagem colaborativa, e eu, mais especificamente, tratarei de explorar as tecnologias utilizadas para a sua construção e o processo de aprendizagem e de avaliação da mesma.

Não trabalharei nem com a vertente da usabilidade, nem do audiovisual, nem do design. Essas áreas ficarão ao cargo da minha colega Rita Moniz.

 

Através de alguns artigos que li comecei a compreender não só o que é o digital storytelling, mas também como deve ser utilizado e as suas vantagens e desvantagens. Percebi igualmente que o digital storytelling em contexto de aprendizagem têm sido utilizado essencialmente nas salas de aula, ou seja, em formação de crianças e jovens. Até ao presente ainda não encontrei nenhum exemplo em que fosse utilizado para formação de adultos em contexto colaborativo, porém, deixo aqui algumas referências de artigos que li e que achei especialmente interessantes dentro da temática específica do Digital Storytelling:

 

Bull, Glen & Kajder, Sara. (2004). Digital Storytelling in the Language Arts Classrom. Learning & Leading with Technology, vol.32(n.4), 46-49.  Diponível a partir de <http://www.digitalstoryteller.org/docs/DigitalStorytelling.pdf>; [consulta em 22/08/2011, 22:34].

 

Robin, Bernard R.. (2008). Digital Storytelling: A Powerful Technology Tool for the 21st Century Classroom. The College of Education and Human Ecology, The Ohio State University, [Ohio], 220-228. Disponível a partir de <http://digitalstorytellingclass.pbworks.com/f/Digital+Storytelling+A+Powerful.pdf>; [consulta em 17/10/2011, 10:23].

 

Czarnecki, Kelly. (2009). Software for Digital Storytelling. Digital Storytelling in Pratice, Chicago: Library Technology, 31-36.

 

Bull, Glen; Kajder, Sara & Albaugh, Susan. (2005). Constructing Digital Stories. Learning & Leading with Technology, vol.32(n.5), 40-42.  Diponível a partir de <http://www.eric.ed.gov/PDFS/EJ697311.pdf >; [consulta em 04/112011, 22:43].

 

Digital Storytelling in the Language Arts Classrom. Learning & Leading with Technology, vol.32(n.4), 46-49.  Diponível a partir de <http://www.digitalstoryteller.org/docs/DigitalStorytelling.pdf>; [consulta em 22/08/20



mais sobre mim
Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
26

27
28
29
30


arquivos
2011

pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO